terça-feira, 25 de setembro de 2012

Mas Não Sou Beata, Me Criei Na Rua

E se eu tô te dando linha é pra comer você

Sábias palavras, Ana Carolina.

Agora começando o texto de verdade, acho tão absurdo sexo ser tabu. Como é que você nasceu? Seus pais transaram, simples assim. E não transaram só pra que você nascesse, não. E eu não estou falando do seu irmão. Todo mundo transa. Cedo ou tarde. Melhor que seja cedo, por que sexo é muito bom. Imagina perder a virgindade na cama com o seu marido? Imagina que tem sangue, dói, é incômodo, é desconfortável. Tem mulher que até chora. Agora imagina que isso seja com o seu marido, que vai passar o resto da vida transando com você. Você nunca vai saber se ele é de fato bom de cama, como é que é pra ser, se você faz direito. E aí você cansa de transar só com ele, toda vez, sem nunca ter experimentado com nenhum outro cara.

Legal é experimentar em lugares inusitados, construir fantasias, fazer com caras diferentes, com dois ao mesmo tempo... Enfim, como você achar melhor. Isso não faz de você, de forma alguma, uma puta. Faz de você uma pessoa que gosta de sexo, ponto. Se um homem gosta de sexo, ele não ganha rótulo, então se mulher gosta de sexo, tem que ser assim também. Até por que puta cobra pelo serviço, e você está cobrando, no máximo, um orgasmo. É pra o seu prazer.

Por que eu tô falando de sexo? Por que eu quero. O blog é meu, os assuntos são meus, não tô afim de melô dramático, nem de romance incurável. Se as pessoas vão ficar chocadas? Problema delas. Não deveriam ficar. Aceito uma velhinha chocada, afinal, a época era outra. Puta, na época da minha avó, era atriz, poetisa, jornalista. E, claro, puta mesmo. Mas um monte de adolescentes, que deveriam os que tem menos pudor possível, principalmente nessa fase da vida, que o que todo mundo que é ter prazer, ficarem chocados, não admito. Sexo é natural. Como dizia Rita Lee, amor é prosa, sexo é poesia. E olhe que minha avó é uma velhinha nada convencional, que trabalhou com teatro, gosta de costurar, chama minhas saias de abajour de buceta e já me disse pra dar logo pra eu aquietar de uma vez.

O amor nos torna patéticos, sexo é uma selva de epilépticos, pra mencionar, de novo, Rita Lee. Um amor de mulher, vale salientar. Admiro-a muito. Sexo antes, amor depois. Não é por que vem dos outros e vai embora que é ruim, leviano, ou coisa que o valha. É bom, e pronto. Pra mim, não precisa estar atrelado ao amor. Tem que estar atrelado ao tesão e ao desejo, simples. É por isso que é tão bom. Esses filmes que falam de amizades coloridas que viram amor, são tão patéticos. Não precisa ter laço pra fazer sexo. Precisa nem saber o nome. Por que sexo é escolha. Amizade colorida vira amor se você deixar. Pode ser só um momento de prazer mútuo. Amor é divino, sexo é animal. Você tem seus desejos. Supra-os. Não se deixe acanhar pelos pudores cotidianos. Sexo também é certo. Lembre-se que você é bonita e gostosa.

Não estou escrevendo isso por que acho que todo mundo deve dar pra todo mundo. Você deve dar, sim, pra quem você quiser. Acho meio ridículo movimentos de "escolher esperar". Esperar pelo cara certo, pode até ser (apesar de que eu não acredito no "cara certo", também. Sou muito descrente), mas esperar pelo casamento? Não funciona. Você vai se reprimir em prol de quê? De nada. Só dando minha opinião nessa sociedade onde tudo vira tabu, desde sexo até o filme de um urso de pelúcia desbocado. Acho que Carpe Diem. E se esse carpe envolver sexo, então vai nessa.

3 comentários:

  1. gostei. e concordo com você, um absurdo sexo ser tabu. é algo tão natural, que foi imoralizado reprimido pela sociedade. por que não falar de sexo? e qual é a grande polêmica em fazer? Porra, hoje as coisas são diferentes. As mentes são mais abertas. Enfim, aproveitei o seu texto aqui pra desabafar um pouco, e só não escrevo mais porque to com sono q.

    ResponderExcluir
  2. Awwn, mari, que bom que fui apoiada :3 Fiquei com medo de reprimendas hehe

    ResponderExcluir
  3. que nada, relaxe, existe liberdade de expressão.

    ResponderExcluir