domingo, 26 de julho de 2009

OMFG


- PUTA MERDA, EU AINDA NÃO ACREDITO QUE VOCÊ ESTÁ ESTUDANDO AQUI! – Eu gritei no meio do corredor, fazendo com que todos olhassem pra mim. – É, eu estou, idiota. Agora pare de gritar e fazer todo mundo me encarar. Eu gosto de chamar atenção, mas eu sou novata, porra. – Ela me olhou tentando fazer um olhar de censura, mas a beira dos risos. – E eu sou veterana, e não estou nem aí, porra. Eu ainda não acredito que você está aqui, pirralha. – Eu ria da cara de desprezo dela pelo apelido. Sinceramente, eu amava com todas as minhas forças o fato de aquela criatura irritante e chata estar estudando na minha escola. – Eu não gosto de você, Wainberg. – Ela falou e me olhou com tanto desprezo quanto eu olharia uma aranha enorme subindo na minha mão. Ah, espere, eu não olharia a aranha com desprezo. Com medo, talvez. – Eu também te amo. – Eu sorri amigavelmente. Ela me desprezou – Eu não falei que te amava, porra – Eu olhei me fingindo de ofendida. – Eu quero um abraço. Me dá um abraço? – Ela sorriu, e eu a abracei. Estava com saudades. Muitas saudades. E talvez eu demorasse mais de um ano pra me recuperar da ausência constante dela em minha vida. Mas ela estaria lá. Pra ver eu me ferrar em matemática, e eu pra ajudá-la a não se ferrar em matemática do oitavo ano. Era o pior dos tempos. E ao mesmo tempo, era o melhor dos tempos.

Um comentário:

  1. To doida pra saber quem é a garota. Depois você me conta? M.

    ResponderExcluir